Startup une educação, cinema e inteligência artificial para formar profissionais qualificados

Witseed propõe modelo de educação corporativa vinculado a conteúdo de vídeos cinematográficos. Empresas juniores também estão na mira da startup

SHARE
, / 0

Grande parte das edtechs prometem suprir as lacunas do mundo dos negócios e a Witseed é uma delas. A empresa, que visa desenvolver no profissional competências necessárias para os negócios, começou a operar em julho de 2017 e, em menos de um ano, atingiu um faturamento de R$ 1 milhão.

Com cerca de 20 clientes, como Siemens, Sabesp, Natura, Saint-Gobain e Brasken, a empresa recém-criada também já conquistou uma base de quase dez mil usuários.

Segundo o CEO Bruno Leonardo, que atua com educação há mais de 15 anos — já foi professor, coordenador e dono de empresa educacional —, a ideia de criar a edtech partiu da constatação de que há um distanciamento entre o que instituições de ensino entregam ao aluno e o que, de fato, o mercado necessita.

Em busca de resolver esse problema, ele uniu educação, cinema e tecnologia em um modelo de educação corporativa customizado, com trilhas de aprendizagem por temas e conteúdo em vídeos cinematográficos de curta duração produzidos por uma equipe de roteirista, cineasta e editor. Nos próximos meses, a empresa lançará uma trilha voltada exclusivamente para profissionais da área de vendas.

“Nós transformamos em conteúdo educacional a expertise de líderes e executivos de mercado. O líder não precisa necessariamente ter didática; basta que ele tenha muita experiência para construirmos um conteúdo engajador”, explica o CEO.

Ensino adaptativo

Os vídeos são armazenados em uma plataforma desenvolvida com inteligência artificial para oferecer um ensino personalizado de acordo com o interesse e o desafio de cada profissional. A ferramenta ainda mensura os indicadores de evolução do profissional durante as trilhas de aprendizagem. Ao final, o participante recebe um certificado de curso de extensão.

Segundo Leonardo, além do resultado do desenvolvimento profissional, a plataforma pode ajudar as empresas a reduzir seus custos com formação continuada. Um de seus clientes economizou R$ 2,7 milhões ao utilizar a plataforma customizada no lugar do modelo tradicional.

Universitários juniores também utilizam a plataforma

O foco inicial da edtech era educação corporativa, porém, os alunos universitários que estão em empresas juniores — comandadas pelos estudantes dentro das próprias instituições de ensino — também se tornaram clientes. Para esses jovens líderes, a Witseed desenvolveu a ferramenta Junior Academy, que será lançada nos próximos meses.

Nesse momento, porém, a solução está funcionando como um piloto na Rio Júnior (Federação de Empresas Juniores do Estado do Rio de Janeiro) e na Fluxo Consultoria, empresa júnior de Engenharia da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) composta somente por graduandos.

startup une educação

Bruno Leonardo, CEO da Witseed (foto: divulgação)

Leia também:

Professores estão assistindo as próprias aulas para melhorar o desempenho em sala

Startup desenvolve tecnologia para facilitar o acesso de deficientes visuais à leitura e à escrita

 

Comentários

comentários

PASSWORD RESET

LOG IN