Pequeno fugitivo

Obra cinematográfica do francês Jean-Pierre Jeunet baseada no romance de Reif Larsen repete busca por um visual particular

SHARE
, / 1157 0
Filme conta a história de um garoto notável que decide largar a vida convencional na fazenda e viver em Washington

Pode-se gostar ou não dos filmes realizados pelo francês JeanPierre Jeunet, hoje com 61 anos e um dos cineastas de maior prestígio em seu país. Não se pode negar, contudo, que sua obra tenha um apelo visual bem particular; a forma que busca para narrar suas histórias, diferente de um longa para o outro, têm muito a ver com a natureza do tema. O importante, para ele, é atingir um registro que não se confunda com o de nenhum outro filme. A estratégia se repete com Uma viagem extraordinária (França/Austrália/Canadá, 2013, 105 min).

Baseada em romance do americano Reif Larsen, a trama nos apresenta o mundo, na maior parte do tempo, de acordo com o olhar, os pensamentos e os sentimentos do menino T. S. Spivet (Kyle Catlett), de 10 anos (no livro, ele tem 12). Um mundo pequeno, é bem verdade: tudo diz respeito à sua vida em família, em uma fazenda no estado de Montana (EUA), e à compreensão que ele desenvolve a respeito de fatos da natureza e das explicações que as ciências nos oferecem para melhor entendê-los.

Aos poucos, percebemos que T. S. vem processando há algum tempo uma tragédia, mas de um modo equivocado e traumático. Claro: é apenas um menino, ainda que muito inteligente e talentoso. A exemplo de outros filmes sobre crianças notáveis (leia seleção ao lado), Uma viagem extraordinária se ocupa das dificuldades enfrentadas por quem ainda está longe de ser adulto, mas já não considera que “caiba” mais em uma infância convencional, habitando uma região fronteiriça que, muitas vezes, provoca dor.

 

Filmografia
O diretor e roteirista francês Jean-Pierre Jeunet assinou um dos grandes sucessos do cinema francês em toda a sua história: O fabuloso destino de Amélie Poulain (2001), com Audrey Tatou. Em seu início de carreira, ele codirigiu, com Marc Caro, os longas Delicatessen (1991) e A cidade das crianças perdidas (1995). Depois, inaugurou a carreira solo com Alien – A ressurreição (1997).

Família
O pai de T. S. (Callum Keith Rennie) é um vaqueiro, ligado à terra, calado, um tanto misterioso. A mãe (Helena Bonham Carter) trabalha em casa como entomologista, se dedicando a pesquisas sobre o comportamento de insetos. Na fazenda, vivem também uma irmã adolescente (Niamh Wilson), que sonha virar atriz, e um irmão gêmeo de T. S. (Jakob Davies) que nasceu com problemas.

Infância
Um marco do tratamento da infância no cinema é o longa-metragem de estreia do diretor e roteirista francês François Truffaut, Os incompreendidos (1959), que também ajudou a lançar a Nouvelle Vague, o mais popular movimento do cinema de seu país. Antes, no entanto, a produção independente americana O pequeno fugitivo (1953) trouxe um menino como protagonista.

#R#

FILMOTECA

Mentes que brilham cedo demais

Seleção de filmes sobre crianças mais talentosas e inteligentes do que se espera para as suas idades, e os problemas que essa condição acarreta:

Mentes que brilham (1991)
Em sua estreia como diretora de longas-metragens, Jodie Foster interpreta uma mãe solteira que, ao descobrir o potencial incomum do filho, se esforça para lhe oferecer todas as oportunidades possíveis e, também, para preservá-lo de aproveitadores.

Lances inocentes (1993)
Quando descobrem que o filho tem um talento especial para o xadrez, seus pais contratam um professor e procuram transformá-lo em um campeão. Dirigido pelo também roteirista Steven Zaillian (que escreveu A lista de Schindler).

Matilda (1996)
Baseado em livro do britânico Roald Dahl, autor também de outros sucessos da literatura infantojuvenil. A personagem do título aprende a usar seus talentos muito especiais contra o tirano diretor da escola para a qual os pais a enviam.

Palavras de amor (2005)
Marido (Richard Gere) e mulher (Juliette Binoche) enfrentam uma crise no casamento ao mesmo tempo em que a filha de 11 anos prepara-se para disputar um torneio de soletração, competição popular nos países de língua inglesa.

Vermelho como o céu (2006)
Inspirado na história verídica do italiano Mirco Mencacci. Aos 10 anos, um acidente com um rifle o levou a perder a visão. Como o sistema educacional o considerava deficiente, ele foi matriculado em uma instituição especial para cegos.

Moonrise Kingdom (2012)
Diretor de Os excêntricos Tenenbaums, o americano Wes Anderson apresenta uma fábula bem-humorada sobre duas crianças que se consideram incompreendidas pelos adultos e que decidem fugir de suas casas para viver uma história de amor.

Comentários

comentários

PASSWORD RESET

LOG IN