Os projetos dos professores

Educadores de escolas públicas e privadas contam como estão usando a tecnologia em sala de aula para enriquecer a aprendizagem de seus alunos

SHARE
, / 550 0






Oficina Curricular de Informática Educacional

Professora: Lorena de Lima Fidelis Sasaki
Escola: Escola Estadual Professor Pedro Voss, São Paulo (SP)
Projeto: uso do computador como instrumento no processo de construção do conhecimento
Objetivos: as aulas são oferecidas para as dez turmas da escola (de 1º a 5º ano) e acontecem todos os dias no período da tarde. A ideia é apresentar conteúdos vistos em sala de uma maneira mais prática e com o uso do computador como ferramenta central.
Resultados: em dois anos de participação no projeto pude perceber que o computador passou a ser um poderoso recurso de suporte à aprendizagem, com inúmeras possibilidades pedagógicas. Os alunos aprendem a utilizar a informática e descobrem como e em quais lugares podem buscar a informação.








Robótica Educacional

Professor: Marcelo Ribeiro Salles
Escola: Centro Educacional Brandão (CEB), São Paulo (SP)
Projeto: os alunos do 2º ao 5º ano trabalham com kits WeDo, da Lego, e com mecanismos simples e motorizados. Com essas ferramentas passamos princípios de mecânica e os primeiros passos para a lógica de programação. Os alunos do 6º ao 9º ano utilizam softwares especializados nas aulas de informática e participam de oficinas extracurriculares. Objetivos: decidimos explorar o que há por trás de tantas coisas que usamos no dia a dia, como celulares, controles remotos e micro-ondas, entre outros.
Resultados: o aprendizado obtido reflete na sala de aula, no dia a dia dos alunos e ainda faz aumentar o interesse pela área de exatas – tanto durante o período escolar quanto na fase de escolha das universidades. Percebemos que as aulas de robótica também contribuem para o desenvolvimento da autonomia dos estudantes, que tomam decisões com mais facilidade e aprendem a assumir erros e acertos. Quando uma criança conclui o seu projeto e o testa, funcionando ou não, percebemos que está aprendendo a pensar.








Medindo distâncias, encontrando caminhos

Professora: Elaine Iara do Amaral
Escola: Escola Estadual Lourival Gomes Machado, São Paulo (SP)
Projeto: uso do Google Earth com crianças do 5º ano do ensino fundamental, mas pode ser adaptado até para o 9º ano.
Objetivos: nossa ideia principal é fazer com que os alunos tenham uma dimensão mais ampla do espaço e que também conheçam a ferramenta com mais propriedade, já que a usarão com bastante frequência no futuro.
Resultados: a utilização desta ferramenta em classe tem fascinado professores e alunos. O trabalho tecnológico nem se compara com livros didáticos ou mapas em papel. O Google Earth é capaz de entreter e prender a atenção dos alunos em poucos cliques








Olimpíadas de Jogos Digitais

Professor: Luciano Meira
Escola: instituições públicas dos estados de Pernambuco, Rio Grande do Norte e Acre
Projeto: a ação consiste em uma plataforma web no formato de uma rede social de jogos e desafios, na qual os jovens e os professores enfrentam diferentes aventuras, que abrangem os conteúdos vistos em sala de aula.
Objetivos: nossa vontade era produzir algo que fugisse do convencional e que, ao mesmo tempo, estimulasse a participação dos alunos, além de criar uma dinâmica maior em sala de aula.
Resultados: até mesmo os alunos que não gostam de videogames se interessam, pois podem aproveitar os outros jogos, como aqueles elaborados a partir de enigmas com perguntas do Enem. Percebemos que os estudantes ficam mais envolvidos com os temas debatidos em sala, buscam mais informações sobre cada assunto e conversam com maior frequência entre si.








Mobile Education Lab (MEL)

Professora: Fábia Helena Chiorboli Antunes
Escola: Escola Lourenço Castanho, São Paulo (SP)
Projeto: sete educadores da instituição foram capacitados para a criação de projetos pedagógicos de desenvolvimento de conteúdo para tablets e celulares.
Objetivos: buscamos alcançar o aluno onde quer que ele esteja e despertar seu interesse.
Resultados: as aplicações realizadas em sala de aula chamam a atenção dos alunos, principalmente porque a linguagem é a mesma que os jovens vivenciam.








AVA para a literatura

Professora: Clarice Gil Barreira Camargo
Escola: Escola da Vila, São Paulo (SP)
Projeto: elaboramos propostas envolvendo discussões literárias usando o Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) com os alunos do 6º ano.
Objetivos: o intuito é ampliar e potencializar as discussões literárias para que as crianças alcancem os objetivos planejados em relação à leitura. Também voltamos nossas atenções para a questão da autonomia; incentivamos as conversas entre os estudantes para que troquem experiências e, assim, evoluam juntos.
Resultados: em pouco tempo de trabalho, notamos avanços significativos nos grupos participantes. De tão positivo, o projeto foi expandido para as classes do 7º ano, nas quais as crianças escolhem um clássico literário entre quatro opções oferecidas – a ideia é que eles leiam de forma autônoma.

Comentários

comentários

PASSWORD RESET

LOG IN