Professores brasileiros concorrem ao Nobel da Educação

Global Teacher Prize acontece anualmente e premia com US$1 milhão o projeto com maior impacto educacional

SHARE
, / 2

Um dos prêmios mais respeitados internacionalmente no setor educacional, o Global Teacher Prize divulgou os 50 professores que concorrem ao prêmio de 2019. Ao todo, 39 países estão participando desta competição, que é considerada o Nobel da Educação.

O Brasil tem dois representantes, a professora Débora Garofalo, da EMEF Almirante Ary Parreiras, em São Paulo, e Jayse Antonio da Ferreira, da EREM Frei Orlando, em Itambé (PE), ambos de escolas públicas carentes. É a primeira vez que uma docente brasileira concorre ao prêmio.

A Varkey Foundation é a instituição responsável pelo reconhecimento e leva em conta na seleção dos professores a realização de práticas educacionais inovadoras, que tenham resultados visíveis, impactem a comunidade, contribuam para a profissão e auxiliem os alunos a se tornarem cidadãos.

A docente de tecnologias

Débora Garofalo é professora de tecnologias na Almirante Ary Parreiras, e criou o projeto Robótica com sucata promovendo a sustentabilidade, que já removeu mais de 700 kg de lixo das ruas da região para se transformarem em objetos de robótica.

Formada em Letras e Pedagogia e mestranda em Educação pela Pontifícia Universidade Católica (PUC-SP), a primeira mulher brasileira finalista nesse prêmio dá aulas para alunos de 9 a 14 anos.

Com o mesmo projeto, Débora venceu o Prêmio Professores do Brasil, uma iniciativa do Ministério da Educação.

O docente de educação artística

Jayse Ferreira é professor de educação artística na Frei Orlando, localizada na divisa de Pernambuco com a Paraíba.

Duas atividades do professor o fizeram chegar aos 50 finalistas, o Eu sou uma obra de arte: etnias do mundo eVamos enCURTAr essa história? em que o docente juntou filmes, ensaios fotográficos e conteúdos da internet para diminuir as faltas dos alunos, elevar o respeito à diversidade religiosa e aumentar o engajamento da sala de aula e dos pais.

Formado em Educação Artística e pós-graduado em Psicopedagogia, Ferreira revela que o projeto envolveu a comunidade. Como resultado, ele aumentou a permanência nas aulas e disseminou entre os alunos o orgulho por sua identidade.

Em 2014, Jayse Ferreira venceu o Prêmio professores do Brasil com o projeto Eu sou uma obra de arte: etnias do mundo, que valorizou as etnias dos alunos com o auxílio da fotografia.

Resultados

Em torno de 10 mil professores de 179 países se inscreveram para o Global Teacher Prize 2019. Em fevereiro de 2019, a Academia do Prêmio Global de Professores vai anunciar os 10 finalistas e o vencedor será divulgado em um evento em março, em Dubai, capital dos Emirados Árabes.

Nobel da Educação professores brasileiros 2019

Professores brasileiros estão entre os 50 finalistas do Nobel da Educação (foto: divulgação)

Leia também:

Melhores práticas de formação docente: projeto da Universidade Federal de Uberlândia estimula empatia entre futuros professores

Melhores práticas de formação docente: projeto da UFG leva Rita Lee, Nannerl Mozart e Chiquinha Gonzaga para a sala de aula

Melhores práticas de formação docente: conheça o bem-sucedido projeto do Instituto de Matemática da USP

Artigos relacionados

Comentários

comentários

PASSWORD RESET

LOG IN