Um currículo para trabalhar as soft skills

Instituto Mauá reformula seu projeto educacional para enfatizar as competências socioemocionais

SHARE
, / 1157 3

O mercado contrata pelo currículo e demite pela atitude. Não é assim?”, pontua Marcello Nitz, pró-reitor do Instituto Mauá de Tecnologia.

Ciente da necessidade de que formar profissionais com uma excelente bagagem técnica não é suficiente, a instituição tomou a decisão de reduzir o tempo das disciplinas convencionais para acomodar no currículo atividades voltadas ao desenvolvimento das chamadas soft skills, como a habilidade de comunicação, a resiliência, a autoconfiança e outras competências socioemocionais.

Para seguir por esse caminho, a instituição precisou reformular o currículo e, inclusive, enfrentar a resistência de alguns professores e alunos. “Se queremos desenvolver as habilidades necessárias para tal atuação, precisamos arrumar um tempo para ensiná-las. Não dava mais para mantê-las no campo das atividades extracurriculares”, complementa.

Do ponto de vista do desenvolvimento das habilidades técnicas, a Mauá se destaca pelo relacionamento que mantém com empresas e indústrias, especialmente as da região do ABC. Por meio de uma unidade de negócios que presta consultoria e serviços, a instituição consegue se manter atualizada e levar isso às salas de aula e laboratórios.

Leia também: O desafio de formar para o mercado

Como estão os egressos 

Belas Artes realiza evento para apresentar seus estudantes e atrai milhares de pessoas, inclusive potenciais empregadores

Artigos relacionados

Comentários

comentários

PASSWORD RESET

LOG IN