Imagem & Som

  O mundo interior dos jovensEm alguns de seus filmes mais recentes, o diretor e roteirista italiano Bernardo Bertolucci dedicou um olhar carinhoso a …

SHARE
, / 1073 0

 

Divulgação

O mundo interior dos jovens
Em alguns de seus filmes mais recentes, o diretor e roteirista italiano Bernardo Bertolucci dedicou um olhar carinhoso a jovens, como se quisesse entender melhor as transformações sociopolíticas e comportamentais das últimas décadas por meio das semelhanças e diferenças entre a sua juventude, nos anos 1960, e a da virada do milênio. O drama intimista Eu e Você (Itália, 2012, 103 min) aplica esse exercício a uma situação muito simples que encerra um compêndio de preocupações, medos e inseguranças de quem deixou de ser criança, mas ainda não virou adulto.

Baseada em romance homônimo de Niccolò Ammaniti, a trama é protagonizada por Lorenzo (o estreante Jacopo Olmo Antinori), um adolescente de classe média alta em Roma. Ele diz aos pais que viajará durante uma semana para esquiar com amigos de escola, mas, na verdade, planejou ficar todo esse período sozinho no porão do seu prédio, sem que ninguém saiba. Leva roupas, mantimentos e diversão para o esconderijo. Plano perfeito. Lorenzo só não imaginava que a estratégia de isolamento ruiria por causa da visita inesperada de Olivia (Tea Falco), a meia-irmã que mal conhece.

#R#

Como o título sugere, Eu e Você passa então a explorar os contrastes entre seus dois personagens, com ênfase na dificuldade que Lorenzo, mais novo, enfrenta para compreender o comportamento de Olivia. Em conflito com o pai, que odeia, e às voltas com drogas, ela se apresenta como uma espécie de esfinge incômoda para Lorenzo. Os dias que passarão juntos e isolados vão representar para ele um importante rito de passagem, tornando muito mais rica (e inesquecível) a experiência de cortar os laços com o mundo exterior para se dedicar somente a suas próprias reflexões.

Na teoria e na prática

Três lançamentos recentes fornecem uma ótima bibliografia básica para educadores interessados em conhecer a história e a linguagem do cinema, e a desenvolver estratégias para usar o audiovisual com seus alunos, em atividades de recepção e também de produção.

O que é cinema?
Publicada anteriormente no Brasil (pela Editora Brasiliense, no início dos anos 1990) com o título O cinema, essa coletânea reúne 36 artigos de um dos mais influentes críticos de toda a história do cinema, o francês André Bazin (1918-1958). Estão presentes um texto clássico da teoria de cinema, Ontologia da imagem fotográfica, e análises diversas sobre realizadores (como o francês Jacques Tati e o italiano Roberto Rossellini), gêneros (como o faroeste) e outros tópicos (como as relações entre a pintura e o cinema). A nova edição (que recupera alguns textos do original francês não publicados na tradução brasileira anterior) traz apresentação e apêndice do ensaísta Ismail Xavier. O que é cinema? (Cosac Naify, 416 págs., R$ 49,90)

Cinema para crianças
Livro ilustrado que percorre a história do cinema, dos primórdios no século 19 até a produção do século 21, Cinema para crianças (Publifolhinha, 142 págs., R$ 44,90) traz textos sintéticos explicando como foi desenvolvida a tecnologia para criar a ilusão das imagens em movimento. Embora se dirija a crianças, o livro dedica bom espaço a filmes e séries adultos, como a franquia James Bond, ao mesmo tempo em que procura destacar filmes infantojuvenis. Por outro lado, ao apenas traduzir o original (da editora britânica Dorling Kindersley), essa lúdica publicação de referência não faz menção ao cinema brasileiro.

Fazendo cinema
Diretor, ator, músico e professor, Tristan Aronovich apresenta 71 exercícios que ajudam a compreender a realização de obras audiovisuais, divididos em sete capítulos que resumem as principais etapas desse processo: roteiro e história, produção, direção, atuação, direção de arte, cinematografia (ou direção de fotografia) e montagem (ou edição). Os exercícios são acompanhados por exemplos, dicas e sugestões de filmes que contribuem para o aprendizado e a formação de repertório. Edição bilíngue em português e inglês. Fazendo cinema (Editora Criativo, 96 págs., R$ 49,90).

Comentários

comentários

PASSWORD RESET

LOG IN