Semesp participa de conferência da Unesco

Evento debateu a educação superior da América Latina e do Caribe e atraiu 10 mil educadores

SHARE
, / 148 1

Localizada a 770 km de Buenos Aires, bem no centro da Argentina, a cidade de Córdoba abriga uma das mais antigas instituições de ensino das Américas, a Universidade Nacional de Córdoba (UNC). Com 405 anos, a cidade universitária da UNC atraiu recentemente 10 mil reitores, diretores acadêmicos, docentes, estudantes e representantes de diversas organizações governamentais e não governamentais pertencentes a 33 países.

Eles estiveram lá para participar da III Conferência Regional de Educação Superior da América Latina e do Caribe (CRES 2018), promovida pelo Instituto Internacional de Educação Superior na América Latina e o Caribe (Iesalc) da Unesco.

O objetivo do encontro foi elaborar estratégias para o desenvolvimento do setor, considerando os desafios da próxima década. O Semesp foi a única associação privada do ensino superior brasileiro presente na programação oficial.

Na avaliação da entidade, a Conferência foi importante, embora tenha se encerrado sem oferecer soluções para alguns desafios da educação superior, como os impactos da Revolução 4.0 na educação, as novas tecnologias educacionais e a educação digital, tema que, inclusive, foi objeto da apresentação do diretor executivo da entidade, Rodrigo Capelato.

“As conclusões da III Conferência deixaram de considerar que o sistema de ensino superior da próxima década deverá se balizar pela tecnologia digital e pela inovação acadêmica, por um modelo de formação baseado em competências e integrado com o setor produtivo, assim como pelas diferentes formas de internacionalização”, declarou o diretor do Semesp.

A entidade, contudo, continuará contribuindo com estudos e propostas e com a participação ativa em todos os fóruns regionais e globais “para que as novas questões impostas pela realidade contemporânea incluam um novo olhar sobre os modelos acadêmicos e administrativos, permitindo que o sistema de ensino superior dos países latino-americanos, incluído o Brasil, possa responder adequadamente a esses desafios”, acrescentou o executivo.

Nos fóruns de debate que antecederam a abertura da Conferência, Capelato ainda apresentou o documento Diretrizes de Política Pública para o Ensino Superior Brasileiro, elaborado em 2017 com base na visão de acadêmicos e especialistas nacionais e internacionais.

O material traz um diagnóstico e aponta soluções para o ensino superior nos seguintes eixos: governança; regulação e supervisão; avaliação e qualidade; financiamento; pós-graduação e pesquisa; inovação acadêmica; tecnologia
e educação digital; formação de professores; relação com outros setores; internacionalização; e formação de redes
de cooperação.

Artigos relacionados

<

Comentários

comentários

PASSWORD RESET

LOG IN